quarta-feira, 22 de novembro de 2017

CIDADE CEGA, PARIS, 2017

O Governo do Estado da Bahia apresenta:

CIDADE CEGA - encenação de Carlos Alberto Ferreira, com o grupo teatral NOZ CEGO, Milena Flick e participação de Karine Weider.

"Cidade Cega" (La Ville Aveugle) decorre de um questionamento sobre como construir a cidade, compreendê-la de uma forma diferente, extracotidiana, através de experiências sensoriais. Será que essa cidade, que essas cidades, estão verdadeiramente adaptadas para cada um de nós? A estrutura urbana oferece toda a sua evolução? Cidade Cega tem como objeto de investigação a potencialidade dos sentidos (tato, audição, olfato, paladar) como meio de percepção da cidade. O público-participante poderá explorar essa potencialidade através da suspensão provisória do sentido da visão e da realização de ações performáticas conduzidas pelo elenco. A encenação é composta de três momentos: o Prólogo, o Encontro e o Manifesto, sendo realizada coletivamente entre atores, público participante (previamente inscrito) e encenador.

Programação do projeto "Cidade Cega, Paris, 2017”:

21 de novembro de 2017 às 17h - Intervenção "Cidade Cega", exibição do documentário de Davi Arteac "Excursão por uma Cidade Cega" e exposição fotográfica de Ingrid Lago com registros da primeira temporada da encenação.

As atividades serão seguidas por um debate com a professora Josette Feral da Universidade Paris 3 - Sorbonne Nouvelle, a professora Eloisa Brantes Mendes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro e o professor Gláucio Machado Santos da Universidade Federal da Bahia. Inscrições: geo@bresil.org Local: Embaixada do Brasil, 34, Cours Albert 1er, 75008 Paris.

23 e 24 de novembro de 2017 às 18H - apresentações da encenação "Cidade Cega". Local: Cité universitaire internationale de Paris, 17 Boulevard Jourdan, 75014 Paris O encontro com o público-participante será realizado na entrada principal da Cité internationale, sob as arcadas.

25 de novembro de 2017 às 15h - apresentação de "Cidade Cega". Local: em frente ao centro Georges POMPIDOU na Place Georges-Pompidou, 75004 Paris.  O encontro com o público-participante será realizado na Rue Rambuteau, ao lado do museu POMPIDOU, em frente ao cinema MK2 Beaubourg.

***Aqueles que desejarem integrar a apresentação como público-participante da experiência deverão chegar 20 minutos antes da hora agendada. Para informações e/ou inscrições: cega.cidade@gmail.com

Equipe:
Carlos Alberto Ferreira: encenador / Grupo teatral NOZ CEGO: Claudio Marques, Cristina Gonçalves e Gilson Coelho / Milena Flick: atriz e performer / Leonardo Teles: figurinista, ator e artista gráfico / Davi Arteac: realizador do documentário / Ingrid Lago: fotógrafa e curadora / Karine Weider: atriz, voz em off / Daddi Limah: assistente de produção

*Este projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.


sábado, 10 de outubro de 2015

Documentário “Excursão por uma Cidade Cega” prossegue na reflexão sobre os limites e possibilidades da Cidade



Narrativa se apoia no processo de criação e apresentação do espetáculo performático Cidade Cega; Première do documentário será no dia 20 de outubro, no Teatro Martim Gonçalves

Das ruas do Centro de Salvador para as telas, esse foi o caminho percorrido pelo documentário “Excursão por uma Cidade Cega”, que tem como eixo a reflexão sobre os variados tipos de cegueiras existentes, tema que foi explorado pelo espetáculo performático Cidade Cega, que esteve em cartaz no mês de julho deste ano. Segundo Davi Arteac, diretor do documentário, a adrenalina da produção no espaço urbano está aberto e sujeito a surpresas, sem dúvida, foi um desafio a mais a ser vencido.  A estreia do filme será no dia 20 de Outubro, às 19 horas, no Teatro Martim Gonçalves, com acesso gratuito. A exibição será seguida por um debate sobre Intervenção Urbana.

A proposta do “Excursão por uma Cidade Cega” é continuar  e aprofundar  a reflexão sobre as diferentes cegueiras, através da ótica da câmera. Para tanto, Arteac  revela , entre sutilezas, as múltiplas facetas das cegueiras existentes na Cidade, por meio de imagens, relatos e cenas, que retrataram o percurso do Cidade Cega, dos atores ao público, da sala de ensaio à rua.   O espetáculo performático, concebido e encenado por Carlos Alberto Ferreira tem inspiração nas obras como Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago, e a peça Os cegos, de Michel de Ghelderode e Maurice Maeterlinck, além das poesias de Sonia Rangel, buscou retratar a Cidade sob uma nova perspectiva. O texto foi interpretado por atores com deficiência visual e chamou a atenção da cena artística de Salvador por mesclar os gênero de teatro de rua com performance artística. 

Após a exibição o espectador terá a oportunidade de continuar a discussão do tema em um debate com Danielle Moraes, professora de Artes da Universidade Federal de Viçosa, Ines Linke  professora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Carlos Alberto Ferreira, encenador do espetáculo Cidade Cega e também professor da  UFBA.
O documentário conta com o apoio da  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).  Já o projeto Cidade Cega foi um dos contemplados no edital FUNARTE Artes na Rua 2014 e contou com o apoio da Escola de Teatro da UFBA.

Serviço
O que: Excursão por uma Cidade Cega
Quando: 20 de Outubro às 19h  
Onde: Teatro Martim Gonçalves, Escola de Teatro,  Canela  
Quanto: Gratuito
Informações: cegacidade@gmail.com

Teaser:

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Documentário Excursão por uma Cidade Cega

É com imensa satisfação que o Cidade Cega vem anunciar a exibição do documentário "Excursão por uma Cidade Cega" dirigido por Davi Arteac, será no dia 20 de outubro, no Teatro Martim Gonçalves, às 19horas. É gratuito!!!!
O documentário retrata o processo de montagem e de encenação do espetáculo, trazendo depoimentos da equipe, do elenco e do público.
Após a exibição teremos uma mesa de debate sobre Intervenção Urbana! 
Compareçam!!! 


Teaser do Cidade Cega

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Coral do CAP tem participação especial na apresentação da performance teatral Cidade Cega



Foto: Ingrid Lago 
Descrição da foto: fotografia horizontal em preto em branco da apresentação do Coral do CAP na estreia da peça Cidade Cega. Na foto, os integrantes do coral estão lado a lado na calçada com a praça do Campo Grande ao fundo.. Do outro lado da rua, há um homem agachado na frente de várias faixas brancas fotografando o coral.

Formado por deficientes visuais, o Coral do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP) participa de uma das cenas mais produzidas e aguardadas da performance teatral Cidade Cega.  A intervenção do coral acontece no meio do cruzamento do Campo Grande, e o grupo, formado por 30 coristas, literalmente para o trânsito com a interpretação da música Rua da Passagem (Trânsito), de autoria de Lenine mais conhecida na voz de Ney Mato Grosso.

O espetáculo Cidade Cega  mistura as linguagens teatrais e de intervenção urbana, tem o texto inspirado no livro  Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago, e nas peças Os cegos, de Michel de Ghelderode e Maurice Maeterlinck e segue em cartaz até o dia 26 de julho.

Confira o álbum de fotos na Fanpage do Cidade Cega.

Serviço
O que: Cidade Cega
Quando: 17 a 26 de julho
17, 19, 24 e 26/julho sextas e domingos, às 19h (inscritos devem chegar às 18h) e
18 e 25/julho sessões extras às 18h e 20h nos sábados (os inscritos devem chegar uma hora antes)
Onde: Praça do Campo Grande, Salvador
Quanto: Gratuito (prévias através do blog cidadecega.blogspot.com.br ou presenciais na escola de Belas Artes, uma hora antes de cada apresentação)







terça-feira, 21 de julho de 2015

Entrevista com Carlos Alberto Ferreira para o programa Entre Amigos Tradição e Cultura da rádio Excelsior

Confiram a entrevista que o nosso encenador Carlos Alberto Ferreira concedeu nesta segunda-feira (20), para o programa Entre Amigos Tradição e Cultura da rádio Excelsior AM 840. Está imperdível!




O Espetáculo Teatral Cidade Cega segue até o dia 26 de julho, na praça do Campo Grande.
Nos dias 24 e 26/julho, sexta e domingo, as apresentações serão às 19h (inscritos devem chegar às 18h).

No dia 25/julho haverá duas sessões, às 18h e 20h (os inscritos devem chegar uma hora antes)

sábado, 18 de julho de 2015

Estreia do Cidade Cega para o Campo Grande

Espetáculo performático segue em cartaz até o dia 26 de julho

Foto Juliana Souza_Freeda Comunicacação


Olhares curiosos e estranhamento dos transeuntes, múltiplos sentidos provocados e um novo olhar sobre a cidade por parte do público participante. Estes foram alguns dos sentimentos e sensações provocados na estreia do espetáculo performático Cidade Cega na última sexta-feira (17/07), no Largo do Campo Grande. O espetáculo, que mistura as linguagens teatrais e de intervenção urbana, tem o texto inspirado no livro  Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago, e nas peças Os cegos, de Michel de Ghelderode e Maurice Maeterlinck e segue em cartaz até o dia 26 de julho.

E a apresentação do Cidade Cega parou o Campo Grande, literalmente, por alguns minutos, quando o cruzamento foi tomado por 30 artistas do Grupo Noz Cego e do Coral do CAP (Centro de Atenção a Pessoas com Deficiência Visual) e pelo público que acompanhava a obra. De acordo com a estudante Ana Carolina as sessões provocadas pelo espetáculo são difíceis de descrever: “Ainda são muitas coisas para digerir, após ter os olhos vendados você perde o refencial de onde está, dá um nó na garganta, e outros sentidos se ampliam. Sou muito observadora, mas entendi o quanto escuto pouco os outros e a própria cidade”, resume.

Foto: Alessandra Novais

Outra participante do Cidade Cega também compartilha da explosão de sentimentos proporcionada pela performance. “Tive vontade de chorar, de desistir no meio do caminho, mas resolvi confiar e continuei. A partir daí tudo foi mais intenso, tato, cheiros, e o barulho da cidade ficaram mais perceptíveis e até assustadores”, avalia Ivanete Pereira Neto, turista de São Paulo.

De acordo com o idealizador e encenador do Cidade Cega, Carlos Alberto Ferreira, essa explosão de incógnitas e sentimentos por parte do público participante e da plateia de expectadores já era esperada. “A linguagem usada pelo Cidade Cega é pouco usual e muitas vezes o público só vai entender melhor a experiência do espetáculo algum tempo depois. O importante é o questionamento sobre as várias formas de cegueira que existem na Cidade”, esclarece.

O projeto Cidade Cega foi um dos contemplados no edital FUNARTE Artes na Rua 2014 e conta com o apoio da Escola de Teatro da UFBA.  E  segue com inscrições online e presenciais abertas até o dia 26 de julho.

Serviço
O que: Cidade Cega
Quando: 17 a 26 de julho
17, 19, 24 e 26/julho sextas e domingos, às 19h (inscritos devem chegar às 18h) e
18 e 25/julho sessões extras às 18h e 20h nos sábados (os inscritos devem chegar uma hora antes)
Onde: Praça do Campo Grande, Salvador

Quanto: Gratuito (prévias através do blog cidadecega.blogspot.com.br ou presenciais na escola de Belas Artes, uma hora antes de cada apresentação)